Galeria

CRESCIMENTO E EDIFICAÇÃO – Salmo 15 – O Verdadeiro Cidadão Dos Céus – Autor: Pr.  Valtair  Freitas – 15 de janeiro de 2022

O VERDADEIRO CIDADÃO DOS CÉUS – SALMO 15 – 15JAN22

Introdução: 

A Igreja do Senhor é estrangeira aqui nessa terra, nosso objetivo é um dia morar no céu com o Senhor e tornarmos cidadãos do céu. Porém, não se obtém  a cidadania celestial sem primeiro apresentarmos os requisitos necessários.   

No Salmo 15 encontramos preciosas lições sobre o caráter do verdadeiro cidadão do céu.

 I – A Pergunta de Davi – v 1

Com esta pergunta o salmista obteve mais que uma resposta para si mesmo. Obteve uma revelação das qualidades necessárias a todos os que querem ir para o céu.

a) Quem habitará no teu tabernáculo?

– Davi conhecia o tabernáculo terrestre, que fora construído no deserto. Era um lugar santo. Aí, manifestava-se a presença de Deus. Davi  também sabia da existência de um tabernáculo melhor, eterno, nos céus. Mas queria saber quem seriam seus habitantes.

Perguntas semelhantes feitas No Novo Testamento:

  • O Jovem rico: Como obter a vida eterna (Lc 18.18)
  • O carcereiro de Filipos: O que é necessário fazer para me salvar? (At 16.30).

b) Quem morará no teu santo Monte?

– Em Israel havia muitas cidades e aldeias. Entretanto, era um privilégio morar no Monte Sião (Jerusalém). Cidade dos príncipes.

– No tempo de Neemias, só 10% dos hebreus tiveram o privilégio de morar em Jerusalém. Foram abençoados os que passaram a residir ali (Ne 11.1,2)

– Jerusalém é uma figura da Igreja Triunfante – Os crentes fiéis estarão para sempre na Nova Jerusalém (Ap 21. 2,3).

II – A Resposta de Deus –  v.2ª

– A partir do versículo 2 encontramos 11 características que identificam o caráter do verdadeiro cidadão do céu.

– Sendo duas em relação a Deus e nove em relação aos homens.
– Note que apenas duas características envolvem o homem e Deus,  porém são NOVE as características que envolvem o homem com o homem.

– Isto serve para mostrar a certos crentes que pensam que devem apenas se relacionar bem com Deus e o mundo que se dane. Ham, ham.

a) Qualificações diante de Deus (2 a)

1) Anda em sinceridade. 

Esta é uma qualidade do verdadeiro cidadão do céu, demonstrada, primordialmente, diante de Deus.

– Em Gn 17.1 Deus ordenou a Abraão : “…anda na minha presença e sê perfeito”.  Isso equivale a ser íntegro diante do Senhor.

– No hebraico a palavra  “integridade” é tamim , significando que o indivíduo íntegro é aquele que diz o que faz e faz o que diz.  Ler  (Tg 2.12)

 2) Pratica a justiça.

A justiça emana de Deus. O crente só consegue viver bem diante do senhor, se tiver a justiça divina.

– Noé foi um exemplo de homem que pratica a justiça e a retidão (Gn 6.9): “Estas são as gerações de Noé. Era homem justo e perfeito em suas gerações, e andava com Deus.”

– Davi orava a Deus pedindo: “guia-me nas veredas da justiça” Sl 23.3b.

– Jesus nos exorta a buscar em primeiro lugar “o reino de Deus e a sua justiça” Mt 6.33 a)

– Não podemos fazer justiça segundo a nossa vontade.

Mesmo que sejamos injustiçados, nosso dever é confiar em Deus e deixar tudo em suas mãos.

– A Bíblia diz que a vingança pertence ao Senhor, o justo juiz – Mt 5.6: “Bem-aventurados os que tem fome e sede de justiça porque eles serão fartos

– O estado espiritual do crente durante toda a sua vida dependerá da sua fome e sede da presença de Deus (Dt 4.29).

Essas são as qualificações do verdadeiro cidadão do céu diante de Deus.  Cumprindo essas características, aí então vêm mais nove em relação aos homens.

b) Qualificações diante dos Homens

Estas qualificações referem-se ao comportamento, ou conduta ética, do cidadão dos céus diante dos homens, sejam estes salvos ou não.

– Aqui podemos fazer uma autoavaliação.

É nessa hora que vamos por em prática os versículos (28 e 31 de 1Co 11) Devemos julgar a nós mesmos.

3) fala a verdade (verazmente) (2b )

O cidadão do céu chegou a essa condição porque um dia, creu na verdade (Jo 8.32).

* adora em espírito e em verdade. (Jo 4.24)

O mesmo que viver aquilo que canta e transmite através da música e da oração.

* santificado pela verdade (Jo 17.17)

o crente santificado pela verdade não pode mentir.

Sua palavra é a mesma independente de qualquer circunstância. (Mt 5.37: Tg 5.12).

* Contraste entre o cidadão do céu e o mentiroso

–    O cidadão do céu fala a verdade porque é filho de Deus

–   O mentiroso é filho do Diabo (Jo 8.44)

 Conselho para os que desejam tornar-se cidadãos do céu (Ef 4.25)

– Não existe meia verdade. Uma meia verdade é uma mentira (1Jo 2.21)

– O destino do mentiroso  (Ap 22.15)

4) Não difama o próximo (3 a)

Difamar vem do latim (diffamare), significando “tirar a boa fama  ou  o crédito”; falar mal de alguém.

–  Isto é um crime!  O cidadão do céu não deve agir dessa maneira.

– Se não puder falar bem do seu próximo, não fale mal. Ler Tg 4.11,12) – Esse    versículo é daqueles dos quais a gente não consegue se lembrar.

5) Não faz mal ao próximo (3b)

fazer mal é próprio dos malignos, dos ímpios que “não dormem, se não fizerem o mal, e foge deles o sono se não fizerem tropeçar alguém” (Pv 4.16).

O cidadão do céu demonstra, em todos os aspectos de sua vida, cultivar a benignidade, qualidade daquele que só faz o bem.

– Fazer o mal, no texto, tem um sentido amplo:

refere-se a qualquer tipo de atitude que venha a prejudicar o próximo em qualquer circunstância, moral, social, espiritual e  físico;

Quem faz o mal colherá o fruto do que anda semeando (Gl 6.7).

6) Não aceita afronta contra o seu próximo (3c)

Afronta quer dizer ofensa, humilhação de forma agressiva de uma pessoa contra outra.

– O cidadão do céu é capaz de suportar a afronta contra si mesmo, demonstrando o fruto do Espírito (longanimidade) mas não aceita nenhuma afronta contra seu próximo.

– O espírito de fofoca não pode existir no meio dos crentes em Jesus. O disse-que-disse é instrumento utilizado pelo Diabo para semear a intriga e a discórdia entre os irmãos.

7) Despreza o réprobo (4 a)

Réprobo é sinônimo de reprovado, perverso, mal.

O cidadão do céu não pode aprovar, por ação ou omissão, o comportamento dos ímpios. Nosso dever amá-los, espiritualmente, como Cristo os ama, mas desprezá-los em suas práticas pecaminosas.

– Neemias, ouvindo o falso convite de Sambalate, Tobias e Gésem, logo os desprezou: “Estou fazendo uma grande obra, de modo que não poderei descer” (Ne 6.2,3)

8) Honra aos que temem a Deus (4b)

Os que temem a Deus, de modo geral, estão entre os que são considerados “como lixo deste mundo e como a escória de todos” (1Co 4.23).

Deste modo, só quem está em condições de honrar aos que temem a Deus são os verdadeiros cidadãos do céu.

–  Os pais crentes devem amar e respeitar seus filhos

–  Os filhos devem honrar a seus pais

–  O marido deve honrar a sua esposa

–  A esposa deve honrar a seu marido

–  Os fiéis devem honrar os pastores

–  Os pastores devem honrar aos fiéis

9) Cumpre seus compromissos (4c)

O texto do Salmo diz: “aquele que, mesmo que jure com dano seu, não muda”.

–  O Antigo Testamento, as pessoas faziam juramento diante de contratos e acordos.
–  No Novo Testamento, vemos que Jesus nos ensinou a não jurar nem pelo céu nem pela terra (Mt 5.34).

– Jesus nos ensinou a sermos íntegros no cumprimento da palavra. Sim, sim; não, não. O que passa disso é de procedência maligna (Mt 5.37).

– Uma pessoa que se diz ser cristã  e compra e não paga. Pede dinheiro emprestado, prometendo pagar tal dia e, depois fica evitando o credor, não é cidadã do céu.

Que Deus guarde a Igreja desse tipo de gente.

10) Não empresta dinheiro com usura (5 A)

Pedir dinheiro emprestado não é coisa boa (ver Pv 22.7) Às vezes, porém, certas circunstâncias obrigam o crente a fazê-lo.

– Se tivermos condições de ajudar alguém, concedendo-lhe um empréstimo, devemos fazê-lo de modo cristão e compassivo (Sl 37. 25,.26)

 11) Não aceita suborno (v5b)

Suborno quer dizer peita, corrupção.

– Subornar é dar dinheiro para conseguir alguma coisa que vá de encontro à moral e aos princípios cristãos.

– O cidadão do céu jamais aceita tal prática seja contra o culpado e muito menos contra o inocente.

– No Antigo Testamento o suborno era condenado com rigor (Is 5.23,24; Ez 22.12-15)

– No mundo sem Deus, a prática do suborno é quase sempre uma regra. Mas, como cidadãos do céu, devemos condenar esta prática.

III – A Promessa ao Cidadão do Céu (5b) >

Seis palavras apenas são usadas no final do salmo, para descrever o galardão do verdadeiro cidadão do céu: “quem faz isto nunca será abalado”   

Nem todo aquele que diz Senhor, Senhor…(Mt 7.21)

Ser cidadão do céu, ao mesmo tempo em que se é cidadão da terra, não é coisa fácil.

Contudo, conhecendo as qualidades do verdadeiro cid. Do céu devemos esforçar-nos pedindo a Deus que nos ajude.

Pr.  Valtair  Freitas, AUTOR.

Boston, 04 de Junho de 2004

Que Deus nos abençoe, poderosamente.

Pr. Davidson Freitas.

 

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.